PISCA ALERTA

PREFEITURA  PROÍBE CIRCULAÇÃO DE VANS NO CENTRO

Motoristas do Transporte Alternativo do Rio de janeiro reivindicaram o cumprimento de acordos feitos com a Prefeitura da Cidade, como a realização de licitação para 2560 vagas restantes dentre as 3500 prometidas por acordo.

Adilson Honório da Silva, um dos representantes do Movimento de Transportes Alternativos e Comunitários do Município do Rio de Janeiro, diz que os trabalhadores querem falar diretamente com o Prefeito Eduardo Paes porque:

"O Prefeito prometeu 3500 vagas e licitou 1240. Dessas, 40% não estão operando. Restam 2560 vagas sem licitação. Com isso, o usuário local está sem transporte na Maré, na Tijuca, em São Cristóvão, em Jacarepaguá, entre outras áreas. Esse movimento vai continuar enquanto o Prefeito não abrir uma linha de diálogo com a categoria. Precisamos rever as áreas com falta de transportes e que ainda não foram licitadas. Várias áreas da cidade estão desassistidas de transportes que podem ser feitos por vans", disse. 

Linhas deficitárias com poucos passageiros são um problema:
"Tem linha que não leva a nenhum lugar. Não houve estudo de demanda nas linhas licitadas. Sem passageiros o serviço fica deficitário. Temos muitos motoristas que não conseguem mais pagar as prestações do veículo. E se sai da rota para tentar garantir um dinheiro a mais, recebe multa de R$1400,00. queremos uma solução", concluiu.


COMISSÃO DE LICITAÇÃO ESTARÁ REUNIDA NO PAVILHÃO 2 DO RIOCENTO
A prefeitura do Rio de Janeiro atendeu ao pedido do Sindvans-Rio e autorizou a participação dos auxiliares, além dos operadores de transporte complementar, na Concorrência Pública a ser realizada no dia 14 de janeiro de 2014 para o preenchimento de vagas nas regiões AP3 e AP5.
O presidente do Sindicato, Adílson Honório, explica que o interessado deve comparecer até o dia anterior à licitação, (13 de janeiro de 2014) com toda a documentação.
IMPORTANTE
O operador deve ficar atento aos prazos. O cartório leva cinco dias uteis para emitir certidões necessárias. Quem desejar participar deve se apressar em tirar a documentação. O Sindvans-Rio está à disposição dos operadores, mas é preciso que compareçam com antecedência.
No dia 14 de janeiro, o credenciamento dos operadores e entrega dos envelopes começa às sete horas da manhã, na sede da SMTR, localizada na Rua Dona Mariana 48, 7º andar. A abertura dos envelopes está marcada para as 10 horas

SINDVANS DIVULGA LINHAS DA LICITAÇÃO
Saiu o edital de licitação das vans do Estado do Rio de Janeiro.
Infelizmente, haverá seríssimos problemas de transporte para o trabalho a partir de abril, data prevista para implementação do novo modelo aprovado pelo Prefeito.
Bangu, Jacarepaguá, Ilha do Governador e outras linhas que atendem ao Centro ficaram fora dos olhares do nosso magnânimo Alcaide. É lógico que ele está atendendo aos interesses do Jacob Barata (dono da Redentor, Litoral, Barra, Futuro, Pégaso, Jabour e dos ônibus do BRT) que não permite a introdução de nenhum meio de transporte para as regiões citadas
Confira as linhas clicando aqui.


SINDVANS MONTA POSTO DE ATENDIMENTO PARA ORIENTAR MOTORISTAS PARA A LICITAÇÃO DAS VANS

Desde o início de 2013, dois mil permissionários já foram orientados pelo Sindvans-Rio quanto à documentação necessária para a participação da licitação do Transporte Alternativo na capital fluminense. A entidade organizou um escritório especializado em eventos licitatórios com o objetivo de orientar os trabalhadores para cumprir todos os itens do edital de licitação, como a apresentação de certidões criminais, além da documentação necessária à identificação de cada motorista.
Entretanto, o número de vagas oferecidos na licitação é insuficiente para atender a todos os motoristas, que há mais de dez anos, atuam no setor. Serão 1.738 vagas divididas em dois turnos a ser escolhido pelo motorista, ou seja, pouco mais de 800 vagas por linha com um turno das 2h às 14h e outro das 14h às 2h. Em outras palavras, o operador será obrigado a trabalhar em apenas um dos turnos para desempenhar suas atividades e tentar manter seu equilíbrio financeiro com apenas um horário pico  (ou o da manhã, ou o da tarde).
De acordo com
Guilherme Biserra, diretor jurídico do sindicato, O Sindvans-Rio considera que esse processo licitatório foi montado pela Prefeitura com o claro objetivo de prejudicar o nosso modal de transporte. São cerca de 900 mil passageiros/dia  realizando mais de um milhão e meio de viagens.  E as repercussões, evidentemente, vão recair sobre a população (em particular a de baixa renda) que tem no transporte alternativo, muitas vezes, a sua única opção”.
Quem precisar de mais informações a respeito do processo de licitação e da documentação necessária deve entrar em contato com o Sindivans-Rio - 2507-1763 ou 3551-3122

SINDVANS REPROVA LINHAS DOS EDITAIS DE LICITAÇÃO DA PREFEITURA DO RIO
Nesta semana a direção do Sindvans-Rio analisou os editais de licitação da Prefeitura do Rio de Janeiro para as linhas de Transporte Alternativo que operam na cidade. A conclusão, como não poderia deixar de ser, é que várias regiões da cidade do Rio de Janeiro foram prejudicadas por essa proposta do prefeito e ficaram de fora do processo licitatório. Nos editais algumas linhas propostas são curtas demais, cerca de dois quilômetros e com excesso de veículos, enquanto outras linhas estão programadas para lugares despovoados com menos carros. Por outro lado, nas regiões que necessitam de transporte como Ilha, Zona Norte e, principalmente, a Zona Oeste, milhares de passageiros ficarão sem meios de locomoção alternativo tendo que fazer uso dos modais da prefeitura.
Está claro o lobby das empresas de ônibus!

PREFEITURA DO RIO DESCUMPRE ACORDO FIRMADO ANTES DA ELEIÇÕES
Bastou assumir o governo municipal para o Prefeito Eduardo Paes "esquecer" o acordo firmado com os representantes do transporte alternativo. Antes do pleito o então candidato a reeleição, Eduardo Paes, através de seus representantes, o vice-prefeito Carlos Alberto Muniz e o secretário estadual de transportes Alexandre Sansão, em reunião, realizada na Secretaria Municipal de Transportes, no dia 4 de outubro (vide abaixo), chegou ao entendimento de que seria publicada uma resolução definindo as linhas gerais do processo licitatório e seria criada uma comissão mista de representantes do transporte alternativo e de técnicos da secretaria. Essa comissão faria um estudo para viabilizar o processo licitatório até julho do ano que vem. Agora, eleito, o prefeito, em entrevista ao jornal O DIA, mudou de plano e fez, inclusive, ameaças aos profissionais das vans quanto à possibilidade de nova carreata.
Como já conseguiu novo mandato, patrocinado pelo governo do estado e mais 20 partidos, agora tem que atender aos anseios do sogro do governador. É o lobo em pele de cordeiro

PREFEITURA DO RIO FIRMA ACORDO COM REPRESENTANTES DO TRANSPORTE ALTERNATIVO
Após um mês de negociações entre os representantes do Transporte Alternativo e a Prefeitura do Rio de Janeiro finalmente foi firmado um acordo para a licitação das linhas de transporte alternativo da cidade. A Prefeitura prometeu licitar 3500 permissões individuais do Serviço de Transporte Público Urbano Local (STPL), sendo que uma comissão técnica já está sendo composta para definir linhas do serviço e viabilizar a licitação de outras vagas para o transporte noturno e o transporte executivo. O vice-prefeito, Carlos Alberto Vieira Muniz, participou das reuniões entre o Secretário Municipal de Transportes, Alexandre Sansão, e os representantes do Sindtrans-Rio e do  Sindvans-Rio, que defende ainda a regularização de outras 2000 vagas para o transporte de passageiros durante a noite e madrugada. Há que se salientar que o transporte noturno se tornou ainda mais necessário com o advento da Operação Lei Seca.

MOVIMENTO EM DEFESA DO TRANSPORTE ALTERNATIVO: REUNIÕES CONTINUAM
As reuniões entre o Movimento em Defesa do Transporte Alternativo (MDTA) e a Prefeitura do Rio de Janeiro tiveram prosseguimento na última sexta-feira (01/09) na Secretaria Municipal de Transportes, e contou com a participação do vice-prefeito Carlos Alberto Vieira Muniz que atua como mediador das divergências entre o Transporte Alternativo no Rio e o Secretário Alexandre Sansão. A pauta da reunião e os avanços conseguidos podem ser obtidos diretamente com a presidência do sindicato ou com seu departamento jurídico.
Presidente do Sindvans-Rio, Adilson Honório - 7706-3319
Diretor Jurídico do Sindvans-Rio Guilherme Biserra - 8828-5495

ENTENDENDO AS REIVINDICAÇÕES DO DIA SEM VAN
O Movimento em Defesa do Transporte Alternativo do Rio de Janeiro encaminhou propostas de regulamentação das vans ao secretário municipal de Transportes, Alexandre Sansão, em 2 de agosto de 2012. As principais reivindicações são:
- Licitação dirigida para Pessoa Física (aos operadores)
- Gestão do Sistema Operacional por cooperativas
- Demarcação dos pontos de parada
- Prazo de Adesão de dez anos
- Veículos entre 5000mm e 8800mm
- Cooperativas serão obrigadas a ter garagem e disponibilizar serviços aos cooperativados, como manutnção, reboque, funilaria, pintura, etc.
- Bilhetagem eletrônica
- Substituição da frota em 24 meses
-Três mil e quinhentas vagas para o STPL
- Quinhentas vagas para o STPE (Sistema de Transporte Público Executivo)
- Duas mil vagas para o STPN (Sistema de Transporte Noturno)
- Contrato entre operador e cooperativa
- Obrigações definidas por assembleia entre cooperativa e operador.
- Cooperativas fiscalizadas pela OCB-RJ.

DIA SEM VAN
O Sindvans-Rio, o SINDTRANSRIO e a OCB-RJ realizam no próximo dia 15 de agosto a manifestação Um Dia Sem Van, quando milhares de operadores vão parar de rodar e realizar uma grande carreata pelas ruas do Rio, a partir das 6h, com concentração no Maracanã, seguido de grande manifestação na Cinelândia. O evento faz parte das ações do Movimento em Defesa do Transporte Alternativo no Rio de Janeiro (MDTA), criado pelas entidades acima.O objetivo é mostrar a importância do Transporte Alternativo organizado para a população do Rio de Janeiro e pedir a sua imediata licitação. O movimento marca a união das principais entidades do transporte alternativo e do cooperativismo no Estado – Sindvans-Rio; SINDTRANSRIO (Sindicato das Cooperativas de Transporte Público Coletivo de Passageiros do Município do Rio de Janeiro) e OCB-RJ – Federação e Organização das Cooperativas Brasileiras do Estado do Rio de Janeiro.

SINDVANS-RIO INICIA GRUPO DE TRABALHO NA SMTR
O Sindvans-Rio defendeu firmemente a reabertura do processo de licitação das linhas de Transporte Alternativo da AP5 durante a primeira reunião do Grupo de Trabalho formado por técnicos da Secretaria Municipal de Transportes (SMTR), pelo secretário Alexandre Sansão e por dirigentes do sindicato da categoria. A reunião foi realizada em 27 de março de 2012 na sede da SMTR, em Botafogo.
O Grupo de Trabalho foi determinado pelo prefeito Eduardo Paes na última reunião com dirigentes do Sindvans-Rio. Na ocasião, Paes solicitou que o secretário Alexandre Sansão recebesse os representantes da categoria para ouvir as reivindicações.
Na reunião, o sindicato também defendeu o aumento das vagas licitadas e o Grupo de Trabalho definiu um calendário de discussões do modelo técnico e o aprimoramento de todo o sistema de Transporte Complementar.
A ação do Sindvans-Rio ganhou mais força. O sindicato contratou um renomado Engenheiro de Transportes que dará suporte técnico às reivindicações da categoria.
Participaram do Grupo de Trabalho o presidente do Sindvans-Rio, Adilson Honório, o vice presidente José de Carvalho, o diretor Jurídico Guilherme Biserra, o diretor Secretário Paulo Oliveira.

SINDICATO CONVOCA POPULAÇÃO PARA ATO PÚBLICO
O SINDVANS-RIO INFORMA AOS TRABALHADORES CONVOCADOS PARA A MANIFESTAÇÃO DE 4ª FEIRA14/03/2012, QUE (POR MOTIVO DE FORÇA MAIOR)  A MANIFESTAÇÃO FOI TRANSFERIDA PARA A, PRÓXIMA, 3ª FEIRA, 20/03/2012, À PARTIR DAS 07:00 hs DA MANHÃ, COM CONCENTRAÇÃO NA CANDELÁRIA.

O SINDVANS-RIO CONVOCA OS OPERADORES AUTÔNOMOS DO TRANSPORTE ALTERNATIVO DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO PARA ATO PÚBLICO (QUE SE REALIZARÁ NA PRÓXIMA 4ª FEIRA, 14/03/2012, À PARTIR DAS 7:00 H, COM CONCENTRAÇÃO NA CANDELÁRIA) EM DEFESA DO DIREITO DE EMBARCAR E DESEMBARCAR PASSAGEIROS NOS CORREDORES EXPRESSOS (BRS) E PELA DEMARCAÇÃO DOS PONTOS DE PARADA PARA OS NOSSOS VEÍCULOS.

Contato – Adilson Honório – 7706-3319
Guilherme Biserra – 8828-5495

NOVAS FAIXAS DO SISTEMA RÁPIDO DE ÔNIBUS (SRO) NA PRESIDENTE VARGAS
E a Prefeitura continua insistindo em um modelo que só ela acha bom para a cidade. Os moradores de Jacarepaguá e Ilha do Governador, Vila Valqueire, Méier e outros bairros terão mais dificuldades em chegar ao trabalho por conta da implantação das faixas seletivas exclusivas para ônibus, a partir da Praça Onze. Com isso, os usuários de vans e carros de passeio terão que arrumar outra maneira de desembarcar seus passageiros.
A carreata de ontem, 17/01, promovida pelas vans e kombis, serviu de alerta ao Prefeito da insatisfação, não só dos motoristas, mas da população que apoiou o movimento. No entanto, o aporte financeiro bancado pelas empresas de ônibus para que o tal SRO funcione é muito forte. A coisa é tão séria que até mesmo ônibus intermunicipais não podem parar em pontos já tradicionais da Primeiro de Março e, agora, na Presidente Vargas.
Além disso, o próximo passo do prefeito, é limitar que as vans só posssam circular em um raio de 7km o que vai causar transtornos gigantescos aos usuários das vans e kombis de regiões mais distantes do Centro.
A população do Rio, principalmente os moradores da Zona Oeste e da Ilha do Governador, devem exigir do prefeito o impedimento dessa ação arbitrária, injusta e totalmente favorável aos donos das empresas de ônibus.
As Vans não podem deixar de chegar ao Centro.

BRS DOS EMPRESÁRIOS PREJUDICA OS USUÁRIOS DE VANS
Os empresários donos da empresas de ônibus pensam que conseguem com suas manobras extinguir o mais popular dos meios de transporte: as vans.
Quem anda de van não anda de ônibus e se elas pararem de funcionar o caos voltará a cidade por conta do retorno dos carros particulares que voltarão a circular.
Não é impedindo a circulação das vans que o prefeito vai resolver o problema do trânsito, mas criando formas mais eficazes como aumento da malha ferroviária de trens e metrô (que já andam superlotados), sem contar com a utilização das barcas.
Não é criando as TRANS-ALGUMA-COISA, que só beneficiam os empresários de ônibus, que o fluxo de veículos vai ser resolvido.
A Linha Amarela, mesmo com um pedágio de R$4,70, vive engarrafada por conta do péssimo sistema viário atual.
Os passageiros não tem alternativa, principalmente os moradores de Jacarepaguá e Ilha que estão à mercê dos TUBARÕES e milicianos dos ônibus
A cidade já está abarrotada de coletivos que não conseguem, mesmo com os transportes alternativos, dar conta de atender à população. Os táxis fazem lotada assim como os carros de passeio sempre o fizeram. Não há como proibir isso! É um direito LEGAL que cada pessoa tem de dividir uma corrida com outra.
Tentar melhorar o trânsito para os ônibus (o que não aconteceu) é prejudicar outros tantos milhares de passageiros de outros transportes.
Quando a vida da cidade voltar ao normal com a volta às aulas o Prefeito vai ver o erro cometido.
A Guarda-Municipal criada pelo prefeito César Maia para combater o comércio irregular, hoje tomam conta do trânsito, multam, pedem documentos e possuem uma autonomia quase com poder de polícia, inclusive com aulas externas de defesa pessoal como acontece todas as manhãs na unidade do Maracanã.
Resta à população e usuários de transportes alternativos reagirem na hora de eleger o candidato.
E como tem voto nisso!

MAPA DA PASSEATA PELOS ROYALTIES DO PETRÓLEO
O jornal O GLOBO, divulgou em seu site um mapa muito mais claro de quais vias serão interdidatas por conta da passeata pelos royalties do petróleo programado para hoje. Confira aqui

PERMISSÃO DAS VANS SÃO DOS MOTORISTAS
Após intensa negociação entre o Sindicato dos Permissionários dos Serviços de Transporte de Passageiros e Comunitário do Município do Rio de Janeiro (SINDVANS) e o governo municipal a prefeitura do Rio declarou nulos todos os contratos já firmados com cooperativas de vans que atuam no transporte público do município. Uma grande vitória, sem dúvida, que vai reduzir os anseios de empresas e milícias maquiadas de cooperativas que pretendiam continuar avançando neste segmento. Em decreto publicado na edição de ontem(25/10) no Diário Oficial, o prefeito Eduardo Paes reconheceu que os motoristas pré-cadastrados é que serão os verdadeiros operadores das linhas e não há motivo para que a permissão não seja dada diretamente a cada um deles. Lei mais na página do SINDVANS.
LICITAÇÃO DE VANS SUSPENSAS
O Sindicato dos Permissionários de Serviços de Transporte de Passageiros e Comunitário do Município do Rio de Janeiro (Sindvans Rio) conseguiu na terça-feira do dia 28 de junho, uma importante vitória para os motoristas de van. As licitações que estavam em andamento foram SUSPENSAS por tempo INDETERMINADO. De acordo com o departamento jurídico do sindicato a proposta da licitação era afiliar todos os permissionários a uma cooperativa fazendo com que os motoristas ficassem presos a um CNPJ o que contraria a proposta contra o monopólio. A Câmara dos Vereadores entendeu que os permissionários deveriam atuar como pessoa física e desta forma vetaram as licitações
QUEREM ACABAR COM AS VANS?
Tem-se falado que a Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro pretende, através de licitação, limitar a área de circulação das vans apenas dentro dos limites dos bairros (clique aqui para ver a notícia)
Se isso for verdade, afetará de tal forma a rotina dos usuários de vans que poderá causar uma verdadeira catástrofe no trânsito.
O que se vê, todos os dias, são muitos ônibus com pessoas, literalmente, enlatadas em veículos apertados e desconfortáveis.
Os motoristas dos coletivos estão assumindo múltiplas funções: é  quem dirige, cobra e, eventualmente, auxilia cadeirantes e outros portadores de necessidades especiais.
Com isso o tempo das viagens de ônibus aumentou consideravelmente!
Os trens andam cheios a partir das 6h da manhã e o metrô o dia inteiro.
Estima-se que as vans sejam responsáveis por transportar algo em torno de 500.000 pessoas por dia.
Isso só na região metropolitana. Muita gente!!!
O mais triste é que, ainda assim, pensam em acabar com elas por conta de possíveis monopólios ou cartéis de van!
O que dizer, então,  de algumas empresas de ônibus  que se dividem em muitas, mas  pertencem a um dono só?
Parece haver um desejo de se querer que os usuários das vans andem em frescões caríssimos e lentos, ou espremidos em trens e metrô abarrotados. Já pensou?
A solução está em que se, apenas 2%, 10.000 usuários fizerem um abaixo assinado alguma coisa vai mudar nessa história!

A HISTÓRIA DAS VANS
Atualmente o carioca enfrenta sérios problemas de locomoção.
Os atuais meios de transporte estão saturados e não
satisfazem à população.
Em alguns lugares não há trem, metrô, barca ou outra forma de viajar que não seja de ônibus.

Política? Talvez, mas o fato é que ninguém pode ficar refém de uma só forma de locomoção. Sobre PNEUS! Não é justo!!!

As primeiras tentativas de transporte alternativo foram notadas com as Kombis que percorriam pequenos trajetos, e em locais difíceis de serem atendidos. Com o tempo, e com uma necessidade maior da população, ocorreu um aumento significativo nessa forma de transporte, de tal forma que as pessoas se sentiram atendidas
dignamente.

Seus horários de atendimento, com saídas em curtos espaços de tempo e a possibilidade de caminhos alternativos, fizeram com que esse transporte se tornasse um sucesso para a população. Ao contrário do que se pode pensar, as vans são uma solução para o transporte.

Algumas vans estão mal conservadas, é verdade, mas cabe aos usuários fazerem a seleção e não utilizar as que não apresentam um padrão mínimo de conforto.
A verdade é que o Rio não pode ficar sem VAN!